Sunday, January 25, 2009

Véspera de Ano Novo!

Já não aguento, estou a elouquecer! Tem havido lançamento de foguetes e fogo de artifício desde manhã. Non stop!!!!! Parecem morteiros! Horrível, nem se consegue ouvir a televisão! (Ok, não é que perceba o que dizem, mas sou chata e gosto de ouvir).
Para dizer a verdade, apesar do ano novo só ser amanhã, este disparate dos foguetes, começou há uma semana. E, já levei, inclusivamente, com um destes projécteis na cabeça. Este triste incidente aconteceu a semana passada, enquanto caminhava pacificamente na baixa. Mas pronto, apesar de ter doido para caraças, não fez grande dano.... tenho a mona rija, rija!
Pronto, agora resta-me esperar pela meia noite, altura em que se comem os dumplings (são uma espécie de raviollis, mas sabem muito pior) e, em que se lançam ainda mais fogos de artificio. Não sei como vai ser possivel, mas já me disseram que sim.
Nota: À semelhança do que se passa em Inglaterra, a venda de foguetes/fogo de artifício é livre. Encontram-se por toda a parte e, podem ser lançados onde a malta desejar. Passeios, janelas, etc. É a loucura!

4 comments:

Kayla said...

Deus Carol!!!
Que maluquice...
Ainda bem que não te magoaste!

.:Evelym:. said...

NOSSA. Os Chineses e os Ingleses serem assim tão festeiros. É uma pena que o Brasil não o seja, pois não comemoram o feriado de Independência, por isso posso afirmar que são raros os dias de comemoração.
Carol ajude-me com uma coisa é que eu estudei muito a gramática do português, mas o povo se estranha quando eu falo certinho ou tento, pois aqui o 'povo' fala errada praticamente tudo erra na concordância verbal entre outros e eu gostaria de escrever sobre isso no meu blog e eu estava lendo sobre o assunto e quero que responda-me se é isso mesmo. "Há muitas desculpas para isso: o Brasil é um país subdesenvolvido,
o livro é caro (em média custa entre 40 e 60 reais), a vida é difícil e a primeira preocupação é com comida. “A realidade é que somos um povo que herdou do colonizador uns conceitos estropiados: quem lê é esquisito ou comunista, ler faz mal à vista, quem lê fica exigente demais.” Eu quero saber se essas frases são repetidas ou faladas em Portugal? E por favor, dê opiniões. Quero falar corretamente como tu. Beijinhos.

Estreliña said...

Ena que sorte, mais uma festa de final de ano!

Eu tenho a sensação que ainda estou em 2008.. O meu fim de ano em Londres foi uma coisa muito estranha... Eu estava de botas de água!!

Bjs e cuidado com os foguetes!

carol said...

Kayla,

Podes crer... no meio do azar, tive sorte!:)
Beijocas

Evelym,

Acredito que para muitas famílias brasileiras, os livros sejam vistos como um bem de pouca importância. Como disseste, os livros não são baratos e há que assegurar, em primeiro lugar, as necessidades básicas.
Aqui na China acontece a mesma coisa. Em casa dos meus sogros, os únicos livros que existem são meus!
Mas em Portugal, nunca ouvi ningúem dizer que "quem lê é esquisito ou comunista, ler faz mal à vista, quem lê fica exigente demais.” Nunca ouvi nada do género. Não sei se é por pertencer a uma família em que toda a gente lê muito!
Quando era pequena, os meus pais diziam-me que ver muita televisão faz mal à vista, mas nunca disseram isso a respeito dos livros. Sempre me disseram que ler é um dos maiores prazeres que existem e, eu dou-lhes razão. Adoro ler, sempre adorei!
Espero ter ajudado!
Beijocas

Cristina,

hehehe... o meu final de ano de 2007, em Londres, também foi esquisito. Mas não estava de botas de água, estava de pijama! Sem comentários! hehehhe
Já não posso com os foguetes... :)
Beijocas