Friday, January 9, 2009

Cabeleireiro

Como já tinha a trunfa a necessitar de atenção, decidi ir ao cabeleireiro. Se soubesse para o que estava guardada, não tinha posto lá os pés. Foi maquiavélico.
O problema não foi tanto o corte em si, apesar do cabeleireiro ter umas trombas do tamanho de umas casas e, de ser do conhecimento geral, que uma tesoura é um objecto perigoso nas mãos erradas. O problema foi que o gajo que me lavou a cabeça, demorou cerca de 30 minutos a torturar-me. Nos intervalos do champô, enxaguamento, amaciador, mais enxaguamento e tal, ia-me moendo a cabeça com uma espécie de massagem. Espetava-me os dedos no couro cabeludo e ia pressionando, ao ponto de eu ter a sensação de que tinha o cérebro a sair pelo nariz. Foi das dores mais desconfortáveis que senti e, aposto que uma criança de 4 anos com um martelo nas mãos, teria feito estrago menor.
Devo sublinhar que saí de lá com uma dor de cabeça brutal e que o cabelo continua espigado.
E pronto, estou traumatizada e com saudades do meu cabeleireiro em Portugal. Não tenciono voltar a um cabeleireiro chinês, nem que tenha o cabelo espigado até às raízes.

7 comments:

Sayuri said...

Fartei-me de rir!! Eu cortei o cabelo no sabado passado e levei uma carecada que só me apetecia chorar, mas não há ca pontas espigadas! Agora sentir que o cerebro me sai pelo nariz....visão horrífica!

Lita said...

Coitadinha... essa versão dfaz com que o medo generalizado dos dentistas (que não é o meu caso) se torne numa brincadeira de crianças!!!! :)

Sofia said...

Minha nossa, que pesadelo! Ate agora ainda nao tive de cortar o cabelo por Londres..corto o cabelo sempre que vou a Portugal na minha cabeleireira. O melhor e cortares o cabelo a ti propria, pode ficar radical mas nao sofres.

Beijinhos,
Sofia

.:Evelym:. said...

Nossa!
Carol, estive falando com meu cunhado que é chinês e ele me contou uma coisa bem curiosa e que eu quero que tu contes como é um banheiro chinês com todos os detalhes, pois tu és muito engraçada.
Ele me disse que os banheiros são todos públicos e que não possuem aquele vaso de louça no qual nos estamos costumados a sentar é a famosa privada (compreende), pois é não tem, paredes de divisórias não tem e a única coisa que tem é a brisa refrescando as partes.

Sabes do desafio então já esta pronto no meu blog.

carol said...

Sayuri,
Coitadinha... é mesmo horrivel vir insatisfeita do cabeleireiro. Também já houve alturas em que chorei por me terem cortado demasiado cabelo.
Tenho pena de não ter talento nenhum, caso contrário, passava a cortar o cabelo a mim mesma!
***

Lita,

Eu divirto-me muito mais no dentista! :) O único inconveniente que encontro é não poder conversar muito enquanto estou a ser atendida hehehe
Qualquer dia vou formar um clube para aqueles que têm medo de ir ao cabeleireiro.
***

Sofia,

Eu também nunca cortei o cabelo em Inglaterra. Também aproveitava as visitas a Portugal para o fazer.
Só cortei aqui o cabelo porque já não vou a Portugal há bastante tempo. :(
Cortar a mim própria? heheheh Nem imaginas a falta de jeito que tenho. Ia ser muito perigoso!
***

Evelym,

Vou tirar uma foto a uma casa de banho pública para te mostrar e depois conto tudo!!
***

Kaila said...

Bem eu já fiquei com o cabelo verde num cabeleireiro português(esqueci-me a põr isto no meu eu já)...lol

ps:por acaso não sabes porque o teu blog desaparece sempre da minha lista de blogs?...
é o único!e é um mistério para mim!
deve ser por ser chinês...

carol said...

Kaila,

Com o cabelo verde??? Oh meu deus!! Tens de contar essa história.

Não faço ideia porque é que o meu blog desaparece. Mais uma chinesice:)
***